quarta-feira, 19 de março de 2008

Let's descontrair galere ou Top 5

Idéia vergonhosamente chupada do Utopia Dilucular (esperou link nessa, né, preguiçoso? Vai na coluna do lado), mais precisamente desse post (pronto, pode ir por esse agora), das músicas que grudam no córtex. Mas antes, vamos falar de faxina. E, pra quem não me encontrou no msn recentemente (porque eu não sou a dona de casa clássica, não me conformo que o serviço do lar me obrigue a abrir mão da minha nerdice), durante as escapadas da limpeza hercúlea que eu e minha mãe empreendemos nos 3 últimos dias, explico. Passamos 50/72 horas deixando a casa impecável. Dessa vez, nos resolvemos assim: ela pegaria as coisas que demandam cérebro, como arrumar, decorar, limpar com método, polir, e COZINHAR, porque pelamordedeus sem comida meu mundo desanda, e eu, bem, eu ficaria com a parte da ignorância. O que significa o grosso, o que aqui em casa significa VIDROS.

Mas pouca merda é bobagem. Falo em METROS e mais metros e MAIS METROS de vidro. Moro numa casa que é quase um cubo de vidro e tem, por alto, mais de 100 metros quadrados destes. E não é que eu não ache uma diária de 80 paus justa pra quem vai ralar em blindex todo grudado da maresia que aqui é foda mesmo, acho sim. Só que meu tempo não é tão importante a ponto de eu achar que sou especial e ficar de bobeira, pagando uma baba a alguém, quando posso fazer o serviço eu mesma. Vivo numa casa que pode ser vista como casa de dondoca, sendo que eu, obviamente, não sou. O que gera umas situações engraçadas, tipo quando um decorador amigo de mamãe veio jantar aqui pela primeira vez, e exclamou: "Mas onde estão oS empregadoS?", ao que ela respondeu, séria, "só dois". Logo em seguida, apareço eu vinda do quarto, com uma cara de faxina do caralho, lenço na cabeça e tudo (não sabia que tinha gente), e ela diz "Tá vendo um". O cara riu, "E cadê o outro?", ela manteve a cara séria, "Tá falando com ele".

Então, o que tudo isso tem a ver com o post do seu Pedro? Acontece que muito gruda no córtex desta aqui, mas pouco levanta. E nos últimos três dias venho apurando o que seria a música que dê o pique ideal pra essa atividade tão específica, a de limpar vidros. Então refinei minhas preferências e aí vão as conclusões, pra quem não agüenta mais essa introdução interminável:

TOP 5 BATIDAS PRA LIMPAR VIDRO GRUDENTO

1 - The Mariner's Revenge Song, The Decemberists - O forrózão russo desperta a Creuza dentro de mim.
2 - Supermassive Blackhole, Muse - Já o som espacial dos caras desperta a stripper dentro de mim. O spray de Vidrex numa mão e o bolo de jornal na outra só aumentam a sensação de poder. Do mesmo, também recomendo 3 - Butterflies & Hurricanes, que apesar de não seguir a mesma linha sexy, também dá uma energia legal, com essa coisa de te chamar na real e conclamar a mudar o mundo, nem que seja deixando-o mais transparente.
4 - (I Can't Get No) Satisfaction, The Rolling Stones - Sir maracujagger me faz balançar feito uma maluca e encarar o serviço com gás novo, sem contar que desperta o perfeccionismo que há em mim. O único efeito colateral chato me fazer passar uma boa hora ou mais em cada vidrinho, porque como vocês bem sabem, I Can't Get No! Já 19th Nervous Breakdown, apesar de ter um ritmo bom, não entra, por razões óbvias (a letra).
5 - Your Cover's Blown, Belle And Sebastian - Minha história com essa música não é de hoje. Como muita gente já sabe, além de cega, não me conformei e me tornei surda também, com meu par de fones embutidos nos óculos mp3. Acontece que tô eu, naquele supermercado onde tudo acontece, e começo a ouvir essa música. Não dá outra: começo a dancinha do Murdoch amarradíssima. Minha mãe me olha horrorizada; não entendo. Ela me arregala os olhos; não entendo. Ela berra, "DESLIGA!!". Desligo, né? Descubro que o supermercado tava tocando sua especialidade, o Rei. Embora o cara tenha seus bons momentos, nesse momento, estava num dos mais bregas. E tô lá eu, "amarradíssima", dançando. Foi terrível. Pelo menos no caso da limpeza, se alguém me ver de longe, dançando no ritmo do esfrega, vai ser ridículo, mas tudo bem. Todo mundo fica ridículo se visto dançando quando não dá pra ouvir a música mesmo. Então recomendo.

Agora com licença que vou ali dormir umas 48 horas e já volto.

5 comentários:

Daniel Bastos disse...

Isso daria uma atração do Gugu, a "prova do limpa vidro". Colocava a galera em roupas de banho limpando vidros em um ambiente escorregadio e quem conseguisse limpar tudo, vencia.

Claro que a única música seria "UMBA UMBA UMBA Ê".

aftamata disse...

aqui, melhor que nunca, cabe aquele chavão "unindo o útil ao agradável"! ok, não sei porque disse isso...

Adrielly disse...

Tá dando trabalho, mas tô lendo cada linha dessa bagaça!
;********************

Neto Macedo disse...

Gostei desse. Essa coisa de limpar vidro dançando. Vou tentar um dia. Quando eu morava só, eu não parava pra limpar a casa nem a pau. Deve ser por isso que o cheiro de cigarro era insuportável e a casa era suja igual ao diabo, assim como a cozinha... Heheh...

Clarissa S. Crisóstomo disse...

Realmente são músicas ótimas pra se limpar o vidro, fazer serviço de casa, arrumar o quarto...

Contato

paula.groff@gmail.com

Fuça aew, lesk