sexta-feira, 21 de março de 2008

Pro caralho com qualquer forma de escrita. Com qualquer linha de pensamento, com qualquer lógica, com qualquer tom. Pra alguém que gosta de tudo racional, planejado, pré resolvido, que gosta de deixar tudo pré concebido e maturado como eu, a maior homenagem que posso fazer é o total improviso. Não quero apagar uma linha; não quero escrever no papel pra visualizar melhor, como sempre ocorreu com praticamente todos os posts desse blog (não são muitos, mas enfim), não quero nenhum tipo de... como é a palavra, céus, como é a palavra?

Dissimulação.

Quero poder passar o que me aflige, e o que me corta o coração. Henrique Tonin se retira, e com ele fecham as portas da Imitação de Exílio. E eu estou PUTA. Ofendida, apesar de saber que isso não é justo, mas estou triste e ofendida.

Tonin, volta pra nós.

Tem um pontinho preto no meu coração, por saber que não vou encontrá-lo no msn, mesmo que a gente se encontre tão pouco, e apesar de sabermos da existência um do outro há uma boa pá de ano, nos falamos realmente apenas uma vez. E foi assombroso, como eu já usei esse termo mais de uma vez pra definir tudo o que o Henrique é e o quê o circunda.

Não esperem nenhum tipo de qualidade, não esperem nenhum tipo de ordem de pensamento. Acabei de ler que ele se retira, e isso me atingiu em cheio. Não há porque minimizar. Alguém poderia me dizer: "É apenas um blog."

É, é apenas um blog. Que me abriu mais portas do que muitos dos meus livros. Que vem de uma pessoa que eu respeito, e pessoas que eu respeito são realmente muito poucas. Eu sou o exercício do desprezo em pessoa, e desculpe se isso soa arrogante. Provavelmente eu devo ser.

Mas o Tonin é muito melhor que eu. E isso é tudo que precisa bastar.

Amigo, eu estou puta e de coração cortado. PORRA!

Uma das coisas que sempre evitei aqui foi falar de atualidades. Simplesmente não gosto. Outra coisa foi postar sentimentos rasgados, breguices, coisas de improviso, coisas mal pensadas.

Mas como disse no começo, a maior homenagem que alguém que arquiteta tudo pode prestar é oferecer seu improviso. E eu o ofereço agora.

Você tirou o freio da minha escrita, amigo, tirou meu bom senso nesses segundos que seguem a saber que não vamos te ter mais por aqui. Já fiz menos drama por coisas aparentemente mais importantes, mas o momento me atingiu em cheio. Aos outros leitores, eu podia pedir pra que me relevem, mas não, porra, não. Já pensei em ir pro RS só pra ver se esse cara é de verdade. Então não minimizem o meu sentimento de perda, mesmo que achem que é só um blog.

Fodam-se.

Estou de luto.

11 comentários:

Pedro Marques disse...

Falaí cara!!!

Se liga... quando puder, dá um passada lá no meu blog que eu to de volta à ativa...

Quanto ao texto, tá bem escrito... mas nem tenho o que comentar, tá bem pessoal, né?

beijos menina!

Carlota Polar disse...

Vá se foder.

Grata.

Pedro Marques disse...

Bom... vou me foder sim.

Mas se liga... antes, queria te dizer que eu e duda (do "disgrssão passional") estamos com um projeto de criar um blog com 7 membros, e gostaríamos de te chamar pra participar.

Agora, deixa eu pegar o vibrador e o KY.

Grato.

Rita Kramer disse...

EHUHSUHEUSHUEHSHUEHUS

Caráleo, há coisas que somente o blog de Paula Goff proporcionam a você.
Depois de um post tão sentimental, vem isso aqui. MUITO BOM, PORRA. heuhsue

Assim, eu já pensei em ir em Búzios só pra te ver de verdade. Não acabe com o blog.

Catavnto disse...

Calma...era só um blog!

(TPM do cráleo essa, hein?)

Catavento (Agora acertei!) disse...

Simplesmente odeio escrver errado meu próprio nome.

Faz me sentir um macaco mal-treinado...

Henrique Tonin disse...

Consegui, depois de umas 21411231 tentativas frustradas, acessar a net do laboratório da universidade.

Mas é diferente; não tenho nem as minhas músicas nem minhas imagens nem a liberdade de ler algo legal e ficar sorrindo como um bobo na frente do computador.

Não imaginava que pudesse sentir a mesma coisa, Paula. Porque, por mais que fosse só um blog, pessoas como você são bem mais que pessoas. Sinto como se houvessem me arrancado um órgão, pra ser mais exatao, como se houvessem me privado de metade dos meus sentidos.

Mas continuarei a escrever :)

Um beijo, Paula.

Carlota Polar disse...

Para o Catavento:

Vou primeiro perguntar pro Pedro (porque eu sei que você veio pra cá pelo Utopia) quem é você, pra depois determinar com exatidão o grau da minha resposta escrota.

Até lá, fique firme.

Catavento disse...

Ah, sim...cheio aqui através do Utopia mesmo.

E pode escrotizar à vontade.

É isso o que ele vai recomendar. Invariavelmente, e você sabe disso...

Carlota Polar disse...

Você aí, implorando pra ser escrotizado e achando tudo muito bonito, é um verdadeiro desânimo. Ao invés de encher a internet com comentários desnecessários (é, porque já quase te dei uma patada em outra ocasião num comentário infeliz seu no Utops, e só me contive porque... ah, sei lá porque me contive), vá procurar seu amor próprio. Tenho mais no que pensar e não, não estava de TPM, assim como não estou agora.

Se você não sabe o que é saber que existe uma pessoa do outro lado de um blog, então sinceramente, não sei o que você ainda faz indo neles, assim como vem no meu.

Porta da rua é serventia minha.

Catavento disse...

^^

Contato

paula.groff@gmail.com

Fuça aew, lesk