quinta-feira, 26 de junho de 2008

Dos exercícios de escrita

Certa vez li uma história numa revista. Eu devia ter provavelmente uns 8 ou 9 anos. Nessa história, havia um publicitário e seu filho. Ele, o pai, queria mostrar ao filho o seu trabalho. Mas, ao invés de levá-lo ao prédio de vidro onde se encontrava seu escritório, apresentá-lo aos seus associados, seu "time", sua secretária e afins, ele levou o filho por uma caminhada na madrugada. O filho, então, o perguntou "Mas pai, o que viemos fazer?", ao que o pai lhe respondeu: "Pescar". "Pescar palavras."

Essa frase ficou gravada desde então. Pra mim, é a síntese perfeita. As palavras nunca são nossas, é um erro pensar que elas vêm de nós. As palavras são caprichosas, têm personalidade, mas o mais importante é: elas são livres. Elas podem ser condescendentes contigo, mas jamais serão de quem quer que seja. Aos interessados, o papel que é devido, é o de lhes pescar, lhes atraí-las, lhes conquistar. Assim como a uma mulher. E não é tudo. Também é preciso amá-las e cuidar delas.

O ato de escrever não é um trabalho, é um direito adquirido. Há que ser bom com as palavras. Elas são vivas, estão livres; para serem suas, há que cortejá-las. Os bons escritores são os que casaram com elas, os maus livros são frutos de estupro.



Esse pequeno texto fazia parte de um dever de francês cujo prazo era até a meia noite de hoje. O tema era uma frase de Victor Hugo, "Car les mots, qu'on le sache, sont un être vivant". Essa é a tradução da versão capenguérrima original, que escrevi em francês e mandei para o e-mail do meu professor.

Obrigada ao Felipe Casadei, que me ajudou no negócio de subjuntivo, que estava me fritando os miolos. Felipe Casadei é gente boa pra caralho, escreve o Argument Clinic for Dummies, e vai me ver no Colorado no final do ano pra fazer minhas unhas, senão corto a torneirinha dele.

4 comentários:

Kramer disse...

As palavras rastejam de amor por ti.
Quando é que vais dar a elas o espaço que elas merecem na tua vida?

Aguardo ansiosamente esse dia.

Clá disse...

A nerd aqui pensou "caraca, acho que tô esquecendo subjonctif".

(Só pra não dizer o mesmo "concordo com Ritines!" de sempre)

Kramer disse...

Eu tinha lido o post que você apagou... =p

Paula Groff disse...

Espero que não tenha curtido, tanto quanto eu não curti. =P

Contato

paula.groff@gmail.com

Fuça aew, lesk