sábado, 21 de junho de 2008

Ripley's Believe It Or Not

Sexta-feira. Depois de sacudir todos os departamentos públicos da cidade e ganhar o prêmio mão mais sangrenta da América Latina na categoria dar murro em ponta de faca, resolvo sair à tarde com um dos cachorros. Típico programinha gróffico: animal de companhia, café, torta, livro. Esse programinha é a coisa mais rotineira do mundo: fico lá, escrevendo que nem uma retardada, até que alguém me tira da minha concentração e dou um BERRO de susto. Conversa vai, vem, e esse mesmo alguém acaba, eventualmente, sentando na minha mesa. Cidade pequena, lotada de carioca, e eu sou friendly mesmo, fazer o quê. É muito legal.

Como todo mundo sabe, prefiro as companhias aleatórias. Basta marcar de encontrar alguém, a uma determinada hora, que começo a subir pelas paredes de vontade de desmarcar, e normalmente só não o faço porque pegar num celular pra desmarcar é ainda mais aborrecido.

Mas não era disso que eu tava falando.

O que eu estava falando é que, pelo trajeto da minha casa, tenho que passar na porra de um lava jato que tem uma porra de um cachorro metido a valentão, solto. TODA vez que passo por lá ele avança no meu cachorro, na coleira, e eu tenho que me virar pra não dar briga entre os dois. Normalmente, com voz de comando e puxando o meu, acabo conseguindo espantar aquele demônio, mas nesse dia estava TÃO estressada, que quando gritei e o bicho não saiu da primeira vez, enfiei logo um bicudo no filho da puta. Ah, chega, cansei. O cachorro saiu ganindo e, vejam só, AGORA me aparece o dono do cachorro pra vir falar comigo. Acho que estava a beira de um ataque de nervos, porque nem esperei o cara começar a falar.

- PRENDE SAMERDA, PORRA.
Ele me vem, todo mineirinho docinho:
- É que num pode, moça.
- AH, e por que não pode prender essa porra desse cachorro?
- Veterinaro disse que ele tem problema.
- VOCÊ tem problemas. Vou soltar o meu.
- Não, moça, solta não. É só que ele não usa coleira.
- EU TÔ VENDO QUE ELE. NÃO. USA. COLEIRA.
- Não, cê num tá me entendendo. Ele num aceita, veterinaro disse que ele tem problema.
- Ah é? Que problema?
-Tico. TICO NERVOSO.

Morri.

7 comentários:

Marconi Madruga disse...

hauEUaeUaeUHeUaehUaeUaeuHUaehEAHuehUHAEUHuaehUAEUaheuhAEUhaeuHAeEa

ticoooooooooooooooooooooo!11111111111111111111111

TICO NERVOSO!!!!! AGHEAUEHUAEUHAUHFUFGATGBETWTHNBTUIOAWETNIOAWETB

Kramer disse...

RI
RI
RI
RI


RI LITROOOOOOOOZZZZ

Rafael Formiga disse...

Acho que Groff tem problemas de Tico...

Clá disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Sabe aquela teoria da atração?
Então.

(Sim, as bonecas chegaram)

Ernesto disse...

morri tb aeuuaheheahuahueuahuhe *.*

C a m i l a. disse...

Acho que nunca ri tanto!
OAUHEUOHEOUAE
'tico nervoso' é sacanagem

Basílio Sgaratti disse...

Hahaha. Excelente.

Contato

paula.groff@gmail.com

Fuça aew, lesk