terça-feira, 16 de setembro de 2008

Eu fico PUTA

Daí que tomei café com alguém dito "influente" na cidade há uns dias atrás, no café dos fofoqueiros Maré Mansa. SABIA que ia ter repercussão, não dá pra dar um peido nessa cidade sem que a outra ponta da península escute. E agora, véspera de eleições, isso aqui tá uma panela de pressão. Daí que eu e a pessoa notamos quando o "jornalista" (MEGA aspa) do jornal mais vendido (e não é em tiragem, é de se vender mesmo) da cidade olhou bem pra gente, registrando quem estava com o sujeito ilustre. Na hora minha companhia cantou a bola, mas achei que o cara não seria tão cara de pau assim. E não é que não deu outra? Encontro com o "jornalista" na rua hoje de manhã e ele já vem na minha direção, todo sorridente.

-Oi, você não mora na rua assim assim assado, perto do hotel tal? Eu PRECISAVA falar contigo!

Fiquei olhando pra cara do sujeito, incrédula. Moro há oito anos aqui, e nunca fomos com a cara um do outro. Agora, que ele vai precisar dar o cu na feira se quiser continuar na cidade, e precisa de toda e qualquer influência que puder arranjar, vem se humilhar pra tentar puxar meu saco? É muita desfaçatez. Ele já ia começando a falar de novo, quando não me contive.

-Você não é pago pra ficar calado? Então, faça isso.

Dei as costas e saí andando. Ainda vou tomar um tiro.

5 comentários:

Camila. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Daniel Bastos disse...

Caralho, GENIAL essa.

Kramer disse...

Depois você fica de mimimi quando eu fico pagando o paior pau do mundo pra você.
Você é a única culpada, sua FODA.

Clá disse...

Ai céus.

Paula Groff disse...

Cake, minha querida, achei melhor apagar teu comentário. Por que, de todos os jornalistas, você foi pensar justo nesse? Hahahahaha

Não vamos manchar a reputação dos outros, eles já fazem isso eles mesmos, ok?

De todo modo, desculpa.
:*

Contato

paula.groff@gmail.com

Fuça aew, lesk